ENTREVISTA: Wendel Bezerra, Dublador e Diretor de Dublagem - GGCON22

ENTREVISTA: Wendel Bezerra, Dublador e Diretor de Dublagem - GGCON22


Como já dito em nosso artigo sobre a GGCON, um evento geek que acontecerá nos dias 5 e 6 de novembro, o dublador Wendel Bezerra estará presente no evento, em Natal/RN.
Graças a GGCON, nós conseguimos uma entrevista com o dublador Wendel Bezerra.

Caso não o conheça, Wendel Bezerra é dublador e diretor de dublagem, o qual é responsável por dar sua voz ao Bob Esponja, Goku em Dragon Ball, Robert Pattinson, Sanji em One Piece, Pain em Naruto Shippuden, Leonardo DiCaprio, Jonathan Joestar em JoJo's Bizarre Adventure e muitos outros.

Vamos iniciar com as perguntas:

• Qual é a sensação e o que está achando de estar em Natal? 

"Eu tô muito animado. Adoro Natal, adoro o Nordeste, e estou louco para ir pra lá. 
A minha única preocupação é que eu estou um pouquinho gripado (risos) e, entre a hora em que eu sair da minha casa até a hora em que eu voltar, vai ser algo em torno de dezoito horas, ou seja, eu estarei dezoito horas me preparando na rua e me locomovendo no trânsito para participar do evento. Então, minha única preocupação é com o pique, com a energia, com a gripe. Mas eu sei que, não só o clima de Natal, como também a energia que as pessoas vão trazer para mim, vão me dar forças para que eu possa ter um grande dia e levar alegria ao público, assim como eles me trazem muito carinho."

• Qual personagem em anime você mais gostou de dublar?

"O meu personagem favorito de todos, sem a menor sombra de dúvida, é o Goku. Independentemente de ser de anime ou não, né?! É o meu favorito de todos os personagens. 
O Goku é o meu personagem de coração, que transformou minha carreira, me transformou como ator, como diretor, como empresário, como pessoa, e foi o que me possibilitou fazer grandes amigos ao redor do mundo, não só do Brasil. 
Então, é sem dúvida o meu personagem favorito."

• Dragon Ball é um anime que é produzido por muito tempo, sempre há algo novo saindo, e seu trabalho no Goku é magnífico.
Tendo isso em vista, o personagem muda muito durante esse tempo, amadurece e muda sua forma de falar. Como é o processo para adaptar-se às mudanças do personagem?

"O processo de adaptação às mudanças do personagem é um trabalho meio intuitivo, porque eu não vejo antes, não sei o que vai acontecer, eu não assisto em casa com antecedência e me preparo para o personagem, né?
Você vai vendo essas transformações, essas fases dele, na hora de gravar, na hora de dublar. Então, é um processo intuitivo, de sensibilidade e de entrega ao personagem.
Claro que os anos de experiência como dublador e também os anos com os quais eu dublei o Goku, que hoje já são 23 anos dublando esse personagem, ajuda, torna o processo um pouco mais rápido. Mas é um processo de pura entrega, de uma humildade artística, de percepção, sensibilidade, e de se deixar levar por aquilo que o personagem está apresentando na tela, seja mais seriedade, seja mais responsabilidade, mais alegria, mais tensão...
O Goku Black, por exemplo, eu vou me deixando levar, vou me permitindo e vou tentando me aproximar o máximo possível da interpretação original e do que as imagens estão me sugerindo."

• Qual lição e/ou frase "motivacional" de algum personagem que você dublou mais te marcou?

"Foram várias as lições que vários dos meus personagens me ensinaram, né?! O Goku, o Cake Boss, o Bear Grylls, quase todos os personagens agregaram alguma coisa na minha vida. Mas um que pode ser surpresa para muita gente é com relação ao Bob Esponja, o fato de que ele não é da cultura do 'sextou', ele comemora quando chega segunda-feira, já que ele vai trabalhar, que ele vai lidar com pessoas, que ele vai produzir e que através do trabalho dele vai fazer pessoas felizes. Então, isso é uma coisa que eu aprendi com o Bob Esponja, de gostar de trabalhar, de gostar de produzir, de gostar de ser útil, de fornecer às pessoas algo com o seu trabalho, de se sentir feliz por ser produtivo, por estar ajudando, por começar uma nova semana, e isso é uma coisa que realmente me tomou e eu acho que é por isso que eu sempre trabalho, independentemente da fase da vida ou o que aconteceu naquele dia, naquela semana, eu sempre trabalho como com muito afinco, com muita dedicação e muita felicidade."

• Qual foi o anime mais difícil de dirigir a dublagem?

"Eu não sei dizer exatamente qual, porque cada projeto tem a sua especificidade, sua particularidade, sua dificuldade. Mas eu lembro que, por exemplo, o filme Dragon Ball: A Batalha dos Deuses havia um elemento muito importante na hora de dirigir e de gravar, fazia alguns anos que a gente não fazia nada de Dragon Ball, então, eu e o elenco estavamos todos ansiosos, todo mundo surpreso com aquele trabalho, por que a gente sabia que é algo que os fãs adoram, que tem um tamanho, e hoje a gente tem muito mais consciência do que 20 anos atrás, então foi um trabalho que tinha um peso extra nos ombros, porque a gente queria realmente que o público amasse aquilo, havia personagens novos que tinham que ser muito bem escolhidos para que o público gostasse daquilo. Então, eu acho que foi um grande desafio dirigir a dublagem do filme A Batalha dos Deuses."

• Espaço aberto para mandar uma mensagem para quem gosta do seu trabalho.

"Eu sempre agradeço a Deus todos os dias, por ter tido a oportunidade de dublar personagens como o Goku, Bob Esponja, Sanji de One Piece, O Sam do Senhor dos Anéis, Bear Grylls, o Jackie Chan de As Aventuras de Jackie Chan, atores como o Robert Pattinson, Edward Norton, isso é uma grande benção, um grande presente do universo. E tudo isso,  eu acho que só acontece porque o público sempre foi extremamente carinhoso comigo, sempre apoiou o meu trabalho, incentivou o meu trabalho, e isso no Brasil inteiro, de várias formas, seja através de encontros, de cartas, de mensagens, de presentes... Então, o que eu posso dizer é que eu sou extremamente e eternamente grato a todas as pessoas que, de alguma forma, passaram pelo meu caminho, participaram do resultado final do meu trabalho, e dizer que, sem vocês, eu não seria o ator que sou hoje, eu não seria a pessoa que eu sou hoje, o empresário que sou hoje, então eu sou muito grato a Deus, e a cada uma das pessoas que acompanham o meu trabalho, que me faz uma crítica, que me faz um elogio, e isso é transformador demais para mim. Eu espero retribuir ao máximo, seja com palavras, seja com uma foto, seja com trabalho, eu sempre quero retribuir, por que a grandiosidade desse carinho dos fãs é algo inimaginável e imensurável."

Muito obrigado por responder as perguntas, fornecer sua voz e transmitir os sentimentos das obras em nosso idioma. Seu trabalho é incrível! Um abraço de toda a WDN. 

E muito obrigado a GGCON, que nos disponibilizou a oportunidade de fazer essa entrevista.
O evento da GGCON acontece nos dias 5 e 6 de novembro, no Centro de Convenções de Natal, saiba mais e compre ingressos clicando aqui.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem